6 perguntas para… Michel Tikhomiroff

Satellite

Formado em Cinema pela New York University, Michel é diretor artístico na produtora Mixer, que realiza projetos para canais como GNT, Multishow e HBO.

Já trabalhou como diretor de comerciais, além de dirigir as séries ”O Negócio” e ”Julie e os Fantasmas”.  Recentemente lançou seu primeiro longa, o ótimo ”Confia em Mim”.
Saiba mais sobre ele nessa entrevista:

 

1. Como surgiu seu envolvimento com direção? Você sempre quis trabalhar com isso?
Eu nasci no ambiente dos sets de filmagem. Meu pai, João Daniel, também é diretor e eu frequentemente o visitava no seu trabalho. Mas eu nunca fantasiei em trabalhar com cinema quando era criança. Não tenho nenhuma memória do meu pai me estimulando a seguir sua profissão… Para mim, o set de filmagem era apenas mais um playground, assim como o tanque de areia ou o campo de futebol. Cheguei a pensar em ser dentista. Mas quando tinha dezesseis anos a minha família se mudou para a Espanha, e foi durante uma aula de História que eu decidi que queria seguir a carreira do meu pai. 

Para falar sobre a Revolução Russa, a minha professora colocou o ”Encouraçado Potemkin” na sala de aula. Enquanto os alunos morriam de tédio com aquele filme mudo, preto e branco, eu chorava escondido no fundo da sala emocionado com o poder daquele filme.
Voltei da escola pra casa decidido.

 

2. No longa ”Confia em Mim”, você atuou como produtor e diretor. Como foi a experiência? Existe alguma dificuldade em conciliar as duas coisas?
Eu tive uma equipe de produtores muito especial que me ajudou bastante a fazer o filme como o enxergava. Agora, ser também produtor do filme aumentou o peso em relação às minhas escolhas como diretor, pois eu teria maior responsabilidade por cumprir o prazo e o cronograma estabelecidos. Ou seja, eu tive que me disciplinar entre ser o diretor que luta pelas melhores condições para o filme (maior número de diárias, equipamentos, etc…) com a frieza do produtor que tem que manter o projeto dentro do orçamento e controlar as “viagens” do diretor.
Mas como eu estudei cinema e tive que fazer inúmeros curtas sem dinheiro algum e sem as condições ideais, já estava muito condicionado a ter que cumprir o combinado e tirar o máximo do que estava disponível pra mim.

 

3. Como surgiu o projeto do filme?
Depois de formado, estava buscando uma história que me motivasse a fazer o meu primeiro filme. Não encontrava. Um dia, combinei com um amigo de sair depois do trabalho. Liguei pra ele dizendo que sairía mais cedo, se poderíamos antecipar o encontro. Para a minha surpresa, ele disse que me ligava depois, pois estava numa delegacia tratando de um caso que ele e a irmã dele haviam se metido. Eles foram vítimas de um estelionatário e estavam tentado resolver o embrolho.
Eu imediatamente disse para ele me ligar assim que pudesse para me contar tudo o que havia acontecido, pois aquele seria o meu primeiro filme. Dito e feito. Esse caso real serviu de inspiração para o ”Confia em Mim”.

01
Elenco do filme reunido

 

4. Você trabalha na Mixer, que elabora projetos para diversos canais, como o GNT. Poderia falar um pouco sobre o dia a dia em uma produtora? Vocês seguem alguma rotina?
O dia a dia na Mixer é bem agitado. Somos uma das maiores produtoras do país, então a quantidade de gente e projetos simultâneos é enorme. Como a natureza do nosso trabalho é muito dinâmica, não há uma “rotina” propriamente dita.

Os cronogramas dos projetos acabam ditando as nossas agendas. Um fim de semana pode ser indiferente de um dia de semana e uma folga pode cair numa terça-feira.

 

5. Poderia dar 3 dicas para quem quer seguir o caminho da direção, como você?
Para seguir nessa profissão, a pessoa tem que gostar muito do faz. Não só gostar. Tem que sentir que TEM que fazer aquilo por razões que são mais fortes do que a própria razão.
Além de uma pitadinha de sorte, quem realmente deseja seguir nessa carreira precisa de três coisas:

1) Perseverança
2) Perseverança
3) Perseverança

 

6. Quais são seus diretores preferidos?
Admiro muitos diretores, de diferentes estilos e por diferentes razões. Impossível fazer uma lista curta, então vou citar alguns seguidos de reticências: Tarantino, Spike Jonze, Kubrick, Hitchcock, David Lynch, Ingmar Bergman, Sidney Lumet, Irmãos Coen…

 

*Para saber mais sobre a Mixer, acesse o site http://www.mixer.com.br/

 

Editora-chefe do site e bacharel em Estudos de Mídia pela UFF, produz conteúdo para web desde 2012. Curiosa e apaixonada por cinema, escreve aqui em sua ''Coluna Clichê'' sobre os filmes que assiste no cinema e na TV.

  • Image
  • Image