Crítica: ”Asiáticos podres de ricos”, de Kevin Kwan

imagem via

Best-seller internacional e traduzido para mais de 12 línguas, o livro segue a jjovem Rachel Chu, que é economista e mora em Nova York. Correta, centrada e inteligente, Rachel namora o simpático professor Nick Young, que nasceu e cresceu em Cingapura. A relação dos dois é séria e Rachel fica nervosa quando Nick a convida para ir até seu país de origem para o casamento de Colin, seu melhor amigo.

O que poderia ser uma bela viagem de férias se torna um pesadelo quando ela chega até a Ásia e descobre que Nick pertence a um grupo muito especial de pessoas: os podres de ricos. A família do rapaz é uma das mais ricas do país, mas ele foi criado para não se gabar sobre o dinheiro que possui. Confusa sobre o real motivo de Nick não ter contado a ela as verdades sobre sua origem, Rachel precisa lidar com fofocas, mulheres determinadas a acabar com seu namoro e uma sogra que não vai dar sossego.

SAIBA MAIS SOBRE O LIVRO

O livro tem mais de 400 páginas e pode assustar, mas a história é tão leve e fofa que faz o medo passar logo. Com muitas informações, a trama te leva a  passeio pelos cenários mais exclusivos do Extremo Oriente – das luxuosas coberturas de Xangai às ilhas particulares do mar da China Meridional.
Os diálogos são interessantes e as discussões das personagens são hilárias – nomes de grifes e de celebridades fazem parte do mundo da família Young, que passa grande parte do tempo falando mal dos outros e pensando em futilidades. Destaque para Astrid, prima de Nick e uma das melhores personagens, cheia de nuances e medos, como qualquer pessoa normal.
O livro virou filme e chega aos cinemas brasileiros ainda esse ano.

Cotação: Bom

Editora: Record
Autor: Kevin Kwan
Páginas: 490
Gênero: Romance