Elogiado pela crítica em Berlim, ‘Como Nossos Pais’ chega aos cinemas em 31 de agosto

O longa-metragem “Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzky, que estreou mundialmente no Festival de Berlim em fevereiro último, já tem data marcada para lançamento no país: 31 de agosto. Estrelado por Maria Ribeiro, Paulo Vilhena, Sophia Valverde, Annalara Prates, Clarisse Abujamra, Jorge Mautner, Herson Capri e Cazé Peçanha, o longa recebeu críticas elogiosas nacionais e internacionais. Jay Weissberg, da Variety, comentou: “o filme é um empático retrato dos conflitos entre mães e filhas, esposas e maridos e o eterno desejo de encontrar seu próprio lugar no mundo.”
Já Boyd van Hoeij, da The Hollywood Reporter, declarou: “Um trabalho impressionante, elevado por uma performance bem lapidada da atriz Maria Ribeiro.”  Além da direção, Laís Bodanzky assina o roteiro ao lado de Luiz Bolognesi. A produção é da Gullane e da Buriti Filmes, em coprodução com a Globo Filmes e a distribuição da Imovision.

Satisfeita com a repercussão de “Como Nossos Pais” em Berlim, Laís conta que se surpreendeu ao perceber que o filme é universal. “Eu achava que o questionamento que a protagonista faz, era defasado em relação à mulher europeia. Mas as questões da mulher brasileira hoje são as mesmas de várias mulheres pelo mundo e talvez tenha sido isso o motivo do sucesso do filme em Berlim”, acredita.  E completa: “A protagonista é uma mulher que já teve seus filhos e que ainda tem seus pais. Esse é um dos grandes temas do filme, a relação entre as gerações, entre mulheres, entre mãe e filha e que, claro, que não dá para falar disso sem trazer a tona o tema do relacionamento da família como um todo.”

A diretora espera que o público brasileiro se identifique com a complexidade dessas relações e que leve essa reflexão para dentro de casa. “Essa é uma reflexão necessária para a gente mudar um pouco o “status quo” dessa estrutura familiar tão arcaica em que a gente se encontra”

O longa conta a história de Rosa (Maria Ribeiro), uma mulher dividida entre o cuidado com as filhas, os afazeres domésticos, a convivência com o marido e a relação conflituosa com a mãe. Em meio a tantos afazeres, ela começa a questionar a sua rotina e tentar se redescobrir.

Editora-chefe do site e bacharel em Estudos de Mídia pela UFF, produz conteúdo para web desde 2012. Curiosa e apaixonada por cinema, escreve aqui em sua ''Coluna Clichê'' sobre os filmes que assiste no cinema e na TV. Também colabora com o blog ''CuteDrop''.

  • Image
  • Image