Os Melhores Filmes do Circuito Alternativo de 2014

fotos circuito alternativo final

Elaborei a lista dos melhores filmes que assisti em 2014. Filmes fora do circuito hollywoodiano padrão: brasileiros, alternativos e que me encantaram de alguma forma.  Vale lembrar que nem todos esses filmes foram de fato produzidos e lançados nos seus países de origem em 2014.

Praia do Futuro
Karim Aïnouz mais uma vez, mostrou uma obra brilhante e comovente, a história de Donato (Wagner Moura), que abandona sua vida em Recife para ir atrás do seu grande amor na Alemanha.
Sem dúvidas, foi o melhor filme que assisti no ano, indico a todos, assistam quantas vezes forem necessárias, é forte e magnífico. Tudo nele  é uma obra de arte: a fotografia, a divisão das partes, a química dos atores, tudo.

Mil Vezes Boa Noite
O filme do diretor Erik Poppe, conta com a impecável Juliette Binoche como Rebecca, a fotógrafa de guerra que fica dividida entre a família e o trabalho.
É pesado, indigesto, crítico, intenso, o que faz valer a pena cada segundo assistindo.

De Menor
O longa de estréia de Caru Alves de Souza consegue ser um drama encantador e pesado ao mesmo tempo. A história é um soco no estômago e uma crítica social, nos leva a reflexão sobre o os menores infratores. No entanto, para amenizar o peso da sua temática, sua fotografia é leve, suas cores são claras, o mar é retradado em muitas cenas, acalmando os personagens e espectadores aflitos com a história. Esse foi o filme que vi em 2014 mais profundo. É uma poesia em imagens e narrativa.

Hoje eu Quero Voltar Sozinho
Mais um longa nacional de estréia, este do diretor Daniel Ribeiro, que foi originado pelo Curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, nos faz encher de orgulho das produções nacionais. É lindo, é delicado, é tocante. Uma história de amor, de amizade e companheirismo, através de descobertas inocentes de adolescentes. Conta a história de Leonardo, jovem cego, que sofre preconceito na escola. O foco do filme no entanto, está nas relações profundas e construtivas que ele consegue firmar. É o tipo de filme para se assistir várias vezes.

O Lobo atrás da Porta
Com elenco sensacional: Leandra Leal, Milhem Cortaz e Fabiula Nascimento. Grandes nomes da cena cinematográfica atual, constroem personagens em perfeita sincronia. Um suspense muito bem detalhado e harmônico, com um tema que nunca fica velho, o marido que trai a mulher. O diferencial nesse caso, é a amante psicótica. Digno.

Boyhood
Como não entrar na lista, este, que foi um dos filmes mais esperados do ano?  A proposta do diretor Richard Linklater é inovadora, acompanhar por 12 anos a vida do menino Ellar Coltrane, o protagonista Mason,mas isso não é o bastante. Os atores interagem perfeitamente, a fotografia é linda. A história é simples, o cotidiano de um menino de pais separados, mas consegue prender o espectador até o último segundo. Julgo o filme como um experimento de filmagem que funcionou muito bem.

Relatos Selvagens
É um filme que fala sobre a perda de controle, o limiar entre a loucura e a sanidade, através de seis histórias muito bem delineadas e com desfechos por vezes surpreendentes. É fuido, irônico e que nos faz olhar para nossas próprias atitudes diante das situações da vida. Até hoje, nunca me decepcionei com nenhum filme de Ricardo Darín, e aí está mais uma prova de seu talento. A julgar por este filme, o diretor  Damián Szifron tem um futuro promissor.

O Grande Hotel Budapeste
Wes Anderson é o tipo de diretor que sabe inserir sua marca nos filmes, a forma lúdica de contar histórias para adultos, características que quando vemos um de seus filmes é impossível não identificar. O Grande Hotel Budapeste é mais uma de suas obras marcantes, beleza para os olhos, da fotografia, passando pelos cenários, os atores escolhidos a dedo que montam personagens envolventes, a trama é super amarrada e prende qualquer um até o final.

Dois dias, Uma noite
Um filme tocante dos irmãos Dardenne, com a sempre esplêndida atuação de Marion Cotillard no papel da protagonista. Segue a linha dos diretores ao abordar temas como o desemprego, a crise financeira que assola a Europa contemporânea, e a situação dos trabalhadores das fábricas. Carregado de drama, tocante e profundo.

Vidas ao Vento
Animação japonesa baseada na vida do designer de aviões da Segunda Guerra Mundial, Jiro Horikoshi, poética e delicada, traz perfeitamente o estilo característico das animações japonesas alternativas.

Leave a comment