Review: ”Elite”

Misture na mesma panela: um elenco jovem e bonito, um crime misterioso, dinheiro, sexo e muitas mentiras. Deixe ferver. Sirva durante oito episódios e relaxe. Em ”Elite”, nada é o que parece ser. Grande parte da trama acontece em Las Encinas, um colégio chique que visa moldar o caráter dos ”próximos líderes do mundo”.

É lá que nosso protagonista Samuel (Itzan Escamilla) vai estudar junto com seus amigos Nadia (Mina El Hammani) e Cristian (Miguel Herrán) após o colégio deles, que ficava na periferia, desabar. 
Lá o trio conhece o controlador Guzmán (Miguel Bernardeau), sua namorada Lu (a mexicana Danna Paola), Marina (María Pedraza, de ”La casa de papel”), Carla (Ester Expósito), Polo (Alvaro Rico) e Ander (Aarón Piper).
Samuel, um menino simpático e amoroso, se encanta por Marina, jovem traumatizada e problemática que no passado se envolveu com um rapaz que lhe fez muito mal. 
Cristian, por sua vez, acaba se metendo com quem não devia: Carla, namorada de Polo, um dos melhores amigos de Guzmán, o que desperta raiva na dupla. Guzmán, líder nato, não aceita a entrada dos ”pobres” na escola e faz de tudo para dificultar a vida dos três amigos. Em casa, a vida de Samuel também não está fácil: seu irmão Nano (Jaime Lorente, também de ”La casa”) acabou de sair da prisão e já está envolvido com más companhias novamente.
Nos primeiros episódios a trama não tem muito ritmo, além de serem muito longos. Porém, a partir do 5º episódio, o seriado ganha agilidade e começamos a conhecer melhor a personalidade de cada um. Guzmán é, sem dúvida, quem tem a trama mais interessante da série, junto da certinha Nadia. Os dois começam a série de um jeito, de lados totalmente opostos, mas conforme o tempo passa, começam a ver que tem muitas coisas em comum.
Temas como bullying e gravidez na adolescência são o pano de fundo de ”Elite”, que tem classificação indicativa para maiores de 18 anos, por conter muitas cenas de sexo. O seriado mistura ”Rebelde”, ”Gossip Girl” e ”Twin Peaks” no roteiro elaborado pela dupla Darío Madrona e Carlos Montero.

Cotação: Bom