Um brinde à amizade

drinking-buddies

 

Alguns filmes não deveriam ter sido feitos. Seja pelo roteiro ruim, direção fraca, atores inexpressivos, muitos são os motivos pelos quais alguns filmes são fracassos de bilheteria, não agradam aos críticos e pior: fazem o espectador perder tempo.
E é exatamente essa a sensação que se tem ao assistir ”Drinking Buddies”: uma enorme e absurda perda de tempo.

Na trama, a jovem Kate (Olivia Wilde) trabalha numa fábrica de cerveja e é muito amiga de Luke (Jake Johnson). Luke namora Jill (Anna Kendrick) e pretende se casar com ela; Kate namora Chris (Ron Livingston) e os dois são felizes juntos.
Num fim de semana, os dois casais viajam para a casa de praia de Chris e passam grande parte do tempo separados. Enquanto Jill e Chris resolvem fazer uma trilha, Luke e Kate ficam em casa. Com a convivência, Chris e Jill acabam se envolvendo.

O filme é chato, longo e não chega a lugar nenhum. Os personagens são apáticos e não nos fazem torcer por suas histórias. Olivia Wilde aparece na tela praticamente sem maquiagem e despenteada, sem graça, sem vida e sem carisma. A atriz, que sempre costuma aparecer nas revistas e tapetes vermelhos usando roupas lindas, parece outra pessoa no filme – e isso não é bom.
O final é ruim e deixa a desejar. O diretor Joe Swanberg é muito competente, como visto na série ”Looking”, mas não acertou na mão nesse longa.

 

Cotação: Ruim

Editora-chefe do site e bacharel em Estudos de Mídia pela UFF, trabalha com redes sociais e produz conteúdo para web desde 2012. Curiosa e apaixonada por cinema, escreve aqui em sua ''Coluna Clichê'' sobre os filmes que assiste no cinema e na TV.

  • Image