Crítica: ”Sol em Júpiter”, de Lola Salgado

Imagine ter sua vida exposta na internet para mais de 6 milhões de pessoas. Pessoas que dizem que te amam, que sabem o que você veste, onde você vai e quais seus filmes favoritos. Para Sol, protagonista de romance ”Sol em Júpiter”, a ”vida perfeita” não é tão perfeita assim.

Sol é uma youtuber que mora em Florianópolis. Dona de um lindo cabelo cacheado, ela é noiva de André, que também é youtuber e arrasta quarteirões com se jeito confiante e sedutor. Sol, também conhecida como Juba, nome de seu canal, fala sobre autoestima e como se aceitar como você é, sem medo. Eles formam o casal perfeito da internet, mas quando as câmeras estão desligadas, tudo é muito diferente.

Um dia, num momento inesperado e provavelmente o mais engraçado do livro, Juba conhece Júpiter, um rapaz de olhos azuis e cabelo bagunçado que é diferente de todos que já passaram por sua vida. Com um sorriso fácil, Júpiter conquista Juba logo de primeira, mas ela ainda está junto com André, o que dificulta um pouco as coisas. Os dois viram amigos e muitas complicações surgem por conta disso.

O livro é interessante por tratar com leveza temas como bullying e morte. O casal principal é cativante e Juba tem humor, caso raro quando se trata de romances teen, onde geralmente a protagonista passa tempo demais pensando no ser amado e tempo de menos fazendo o que realmente importa na história.
”Sol em Júpiter” é um livro feminista, bem escrito e que vale seu tempo.
A autora, a paranaense Lola Salgado, começou a escrever fanfics aos 10 anos de idade. Seu livro de estreia, O Advogado, conquistou 1,2 milhões de leituras no Wattpad e ocupou o 8º lugar na Lista de E-books Independentes Mais Vendidos da Amazon no ano de 2016.

 

Cotação: Bom

”Sol em Júpiter”
Editora: Harlequin
Autora: Lola Salgado
Páginas: 256
Ano de publicação: 2018