CM+ | simples e completo //

Tag Archives: o hobbit

Novo pôster de ”O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos”

A Warner Bros. Pictures lançou um pôster inédito de Lee Pace como Thranduil em O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies), o último filme da épica trilogia do cineasta Peter Jackson que adapta para os cinemas a obra de J. R. R. Tolkien.

thranduil-hobbit-600x800

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos nos leva a conclusão épica das aventuras de Bilbo Bolseiro (Martin Freeman), Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage) e da Companhia de Anões. Tendo recuperado sua terra natal do dragão Smaug, a Companhia involuntariamente desencadeia uma força mortal para o mundo. Enfurecido, Smaug cospe a sua ira ardente sobre os homens, mulheres e crianças indefesas da Cidade do Lago.

Obcecado pelo tesouro recuperado, Thorin sacrifica a amizade e honra para escondê-lo, enquanto as tentativas frenéticas de Bilbo em fazê-lo enxergar a razão, levam o Hobbit por uma desesperada e perigosa escolha. Escondido de todos, exceto Gandalf, o grande inimigo Sauron envia legiões de Orcs em um ataque surpresa contra a Montanha Solitária. Enquanto a escuridão converge em seus conflitos crescentes, a raça dos anões, elfos e homens devem decidir se unir ou serem destruídos.

O filme chega aos cinemas brasileiros em 11 de dezembro.

image ’50 tons de cinza’, ‘Jogos Vorazes’, ‘Mad Max’ e ‘O Hobbit’: confira trailers

Para que você não fique perdido, preparamos uma lista com os últimos trailers divulgados nos últimos 7 dias.

Resumão: o que rolou no painel de ”O Hobbit” na Comic Con

battle-of-the-five-armies-600x399

 

O painel de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos na Comic-Con 2014 reuniu quase todo o elenco principal do filme. Não vieram a San Diego apenas Ian McKellen, Martin Freeman e Richard Armitage, que interpretam Gandalf, Bilbo e Thorin Escudo-de-Carvalho.

Cate Blanchett, Benedict Cumberbatch, Evangeliny Lily, Luke Evans, Lee Pace, Elijah Wood, Andy Serkis, Peter Jackson e a roteirista Phillipa Boyens sentaram no painel e passaram cerca de 40 minutos falando sobre o filme antes de qualquer material exibido.
Antes do falatório, foi exibido um vídeo com erros de gravações de ambas as sagas, O Hobbit e O senhor dos Anéis.

Confira um resumo de fatos que aconteceram no painel:

– Peter Jackson disse que espera abrir um museu de O Senhor dos Anéis um dia.
– Cate Blanchett disse que não usou roupa de baixo enquanto filmava O Hobbit.
– Elijah Wood disse nunca ter lido O Hobbit ou O Senhor dos Anéis.
– P.J. disse também que o tom de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos mudará do meio para o final, afim de encaixar o filme com O Senhor dos Anéis.
– P.J. revelou que existe uma versão ainda mais longa de O Senhor dos Anéis que pode vir a ser lançada um dia.
– Benedict Cumberbatch falou sobre a Captura de Movimento do dragão Smaug. “Eu ficava rolando em um carpete no chão como um lunático”.
Andy Serkis, que faz o mesmo trabalho com Gollum, foi ovacionado pela plateia.

– Andy declarou “A magia é ter atores brilhantes no set… e não deixar a tecnologia dominar tudo” (sobre Captura de Movimento)
– Cumberbatch imitou a voz de Smaug para um fã e foi ovacionado pela plateia.
– O trailer exibido foi um teaser que mostrava um pouco da preparação para a Batalha dos Cinco Exércitos.
Pouco foi mostrado, mas havia um sentimento de nostalgia. A frase final foi “Você me seguirá… uma última vez?”.

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos estreia em 11 de dezembro no Brasil.

 

via: CineMarcado

Terceiro filme da trilogia O Hobbit vai ganhar trailer em breve, avisou P. Jackson

franquia-O-Hobbit

O diretor Peter Jackson se comunicou com os fãs através do Facebook para alertar que um teaser trailer do filme O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos está à caminho. Segundo ele, o teaser já foi finalizado e entregue à distribuidora Warner Bros. Pictures, que deve lançá-lo em breve na internet e nos cinemas.

Sobre o trailer principal do filme, Peter falou que este deve demorar até outubro desse ano para ser lançado, assim como ocorreu com os outros dois filmes da trilogia. Ele justificou que o trabalho com os efeitos visuais das batalhas ainda não estão nem perto de ficarem prontos, e isso é o principal motivo do trailer demorar a ser lançado.

Em abril desse ano o filme teve o seu título alterado de O Hobbit: Lá e de Volta Outra Vez para A Batalha dos Cinco Exércitos. Baseado no livro escrito por J.R.R. Tolkien (mesmo autor de O Senhor dos Anéis), a superprodução chegará aos cinemas brasileiros em 11 de dezembro.

Mais uma vez Ian McKellen retorna como Gandalf, o Cinzento, Martin Freeman como Bilbo Bolseiro e Richard Armitage como Thorin Escudo de Carvalho. O elenco traz Benedict Cumberbatch, Evangeline Lilly, Lee Pace, Luke Evans, Ken Stott, James Nesbitt e Orlando Bloom. John Bell, Manu Bennett, Jed Brophy, Adam Brown, John Callen, Ryan Gage, Mark Hadlow, Peter Hambleton, Stephen Hunter, William Kircher, Lawrence Makoare, Sylvester McCoy, Graham McTavish, Dean O’Gorman, Mikael Persbrandt e Aidan Turner.

 

 

fonte: CineMarcado

“Não tenho paciência para bobagem”, diz Peter Jackson

franquia-O-Hobbit

Com a estreia de “O Hobbit: A Desolação de Smaug”, Peter Jackson completa a penúltima etapa do seu envolvimento com o universo de J.R.R. Tolkien.
Já são 12 anos desde que o cineasta lançou o primeiro “O Senhor dos Anéis: Sociedade do Anel”. No final de 2014, encerra a trilogia de “O Hobbit”.

Jackson não parece nada cansado, mas confessa que seu fascínio não é com o escritor inglês especificamente. “Cresci gostando do escapismo, da fantasia, de King Kong e Ray Harryhausen (o produtor e criador dos efeitos especiais de filmes como o ‘Fúria de Titãs’ original)”, disse em entrevista para promover o lançamento de “A Desolação de Smaug”, em Los Angeles. “São 20 anos fazendo o que sonhava quando tinha 9 ou 10. Tenho muita sorte!”

Em “A Desolação do Smaug”, segundo pedaço da série iniciada com “Uma Jornada Inesperada”, o modesto hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) continua sua aventura ao lado de Gandalf (Ian McKellen) e dos 13 anões para recuperar a Montanha Solitária e o Reino Perdido de Erebor.

É uma espécie de Terra Prometida dos anões liderados por Thorin (Richard Armitage), expulsos dali anos atrás pelo terrível dragão Smaug (voz de Benedict Cumberbatch).

Além de ser um lar para aquele povo, o lugar guarda muitos tesouros. O caminho é árduo, mesmo que o livro tenha pouco mais de 300 páginas. Enquanto Gandalf parte em missão própria e independente, Bilbo e os anões precisam lidar com aranhas gigantes, elfos da floresta comandados pelo implacável Thranduil (Lee Pace), os humanos governados pelo corrupto (Stephen Fry) e, claro, muitos orcs.

Segundo Peter Jackson, ao escolher Martin Freeman para viver Bilbo Bolseiro e Benedict Cumberbatch para dublar e interpretar por captura de movimentos o dragão Smaug, ele não esperava repetir a dupla de sucesso da série “Sherlock”.

hobbit-jackson_2752960b

“Estava muito impaciente pela terceira temporada, então escalei os dois para reencenarem para mim”, brincou. “Na verdade, nem tinha visto ‘Sherlock’ ainda quando escolhi Benedict, por causa de sua voz. Quanto a Martin, ele não poderia fazer ‘O Hobbit’ por causa do seriado, mas era tão perfeito que resolvemos esperá-lo.”

Como sempre nos filmes do diretor, há muitas cenas de ação elaboradas. A mais complicada é uma fuga espetacular em barris, feita com uma composição de técnicas diferentes que envolveram inclusive um enorme tanque de água que replicava corredeiras.
Peter Jackson não perdeu a chance de fazer brincadeiras.

“Richard (Armitage) ficou preso num redemoinho, tivemos de trazer gente para trazê-lo de lá. É sério. Não ri nem nada, porque não foi engraçado, viu. Não mesmo!”, disse, provocando gargalhadas.
A entrevista foi cheia dessas histórias divertidas. Num outro momento, Armitage admitiu que roubou as novas meias que recebia todas as manhãs. “Mas que coisa mais sem graça para roubar!”, exclamou Jackson.
Evangeline Lilly admitiu que afanou uma runa, fingindo tê-la deixado cair à beira de um lago cheio de pedras.

O clima descontraído da entrevista parece ter sido o mesmo durante a filmagem. “Não tenho paciência para bobagem”, disse Jackson. Luke Evans contou que para o diretor basta ter uma xícara de chá nas mãos. “E ele costuma testar antes as cenas de ação que vamos fazer. Eu tinha uma em que escorregava por telhados e, quando cheguei ao set para filmá-la, Peter estava com as calças sujas, porque já tinha experimentado!”, contou o ator. Afinal, qual é a graça de trabalhar com isso sem diversão?

Fonte: IG

Da série “Lost” ao novo “O Hobbit”: Evangeline Lilly quase desistiu da carreira

THE HOBBIT: THE DESOLATION OF SMAUG (2013) EVANGELINE LILLY

Desde que o seriado “Lost” terminou em 2010, Evangeline Lilly, que interpretava uma das personagens principais, Kate, deu uma sumida – só fez uma participação pequena em “Gigantes de Aço”.
Em parte, foi por causa do nascimento do filho. Mas a verdade é que a atriz praticamente desistiu da carreira.

“Quando fazia a série, passei muitos anos com todo tipo de problema de saúde, com insônia e ansiedade. Percebi logo que não era saudável e decidi que aquela profissão não era para mim”, disse em entrevista para promover “O Hobbit – A Desolação de Smaug”, filme que estreia nesta sexta e no qual interpreta a elfa Tauriel, ás no arco e flecha que ajuda os anões a se livrar de orcs.
“Mas aí fui trabalhar com Peter Jackson, fiz parte do processo criativo de criação dessa personagem que não existe nos livros. À noite, não tinha insônia porque ia para casa e tinha um bebê para cuidar. Vi que poderia ser legal. Agora estou procurando outros trabalhos.”

Dá para notar que Evangeline está num bom momento. Sorridente e brincalhona, foi a mais falante durante a entrevista, depois de Peter Jackson. Fez brincadeiras com o diretor e até foi um pouco indiscreta. Revelou, por exemplo, que roubou uma pedra que era objeto de cena.

A-Desolação-de-Smaug-Tauriel-Legolas

“Aprendi com Peter que não há melhor maneira de trabalhar do que dando risada. E ele é uma das pessoas mais engraçadas que conheço. Tem zero respeito pela atividade do ator!”, disse, provocando risos.
“Mas é maravilhoso! Quando as pessoas tratam a atuação como uma arte sagrada, querem dizer que aquilo é mágica. E eu não sei fazer mágica. Isso é aterrorizante! Ele conseguiu boas performances ao ser tão relaxado.”

O diretor respondeu que quer a melhor interpretação de todo o mundo, mas que não é de ficar dirigindo nem gosta de criar tensões desnecessárias durante a filmagem. A atriz concordou.

“É preciso muita energia para fazer um filme, um dia dura de 16 a 20 horas. Não tem como gastar energia com tensão.
Nossa profissão é como brincar de casinha, então a gente tem de brincar e se divertir!”, disse.

 

Fonte: IG

O Hobbit: A Desolação de Smaug

O-Hobbit-A-Desolação-de-Smaug-660x330

A COLUNISTA ASSISTIU AO FILME A CONVITE DA DISTRIBUIDORA.

Continuação de ‘O Hobbit’, que estreou nos cinemas em dezembro de 2012, ‘O Hobbit  – A Desolação de Smaug’ mostra a saga de Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) e os anões Nori, Fili, Dori, Bofur, Gloin,  Dwalin, Thorin Escudo de Carvalho, Oin, Bombur, Bifur, Ori e Kili, que precisam recuperar a pedra Arken.

O grande problema é que a pedra está sendo guardada pelo temido dragão Smaug na Montanha Solitária. Para isso, eles deverão invadir o local e roubar a preciosidade.
Os aventureiros pensam que poderão contar com a ajuda de Gandalf, o Cinzento (Ian McKellen),mas ele parte sozinho logo no início da trama.Então, eles são liderados por Thorin, que se mostra um excelente estrategista.

A trama é bem ágil e surpreendente. A cada cena, uma novidade: os pequenos precisam fugir de Orcs e elfos; são jogados dentro de barris de vinho e enfrentam águas nem um pouco pacíficas e depois precisam confiar em um barqueiro, Bard (Luke Evans), que desconfia das reais intenções do grupo.

O dragão Smaug (voz de Benedict Cumberbatch) demora a entrar em cena, mas quando aparece, dá um show.
O sotaque incrível do ator transfere o grau de cinismo ideal ao personagem, maldoso, esperto e muito, muito vingativo.

Em quase 3 horas, o filme, que é um dos melhores do ano, indica que Peter Jackson está no caminho certo.
Depois de dirigir o excelente ‘Um olhar do paraíso’ e produzir ‘Distrito 9’, o neo zeolandês conseguiu manter o alto nível de trabalho, comandando um elenco enorme e muitas cenas de ação.
Duas das grandes surpresas da trama são os personagens Legolas (Orlando Bloom) e Tauriel (Evangeline Lilly).
Quem esperava pequenas ‘pontas de luxo’ por parte dos atores irá gostar bastante da trama envolvendo os dois.
Embora algumas cenas sejam extremamente longas, o filme agrada e promete o que cumpre: entretenimento de boa qualidade para as férias.

Cotação: Muito bom
Ideal para: pessoas que querem se divertir; fãs de Tolkien; pessoas que assistiram o primeiro filme da saga; pais com filhos maiores de 10 anos

‘Quase morri afogado’, diz ator Richard Armitage sobre cena de ‘O Hobbit: A Desolação de Smaug’

RICHARD_D6-f_jpg-q_x-xxyxx

 

O que é melhor que bom? Ótimo. Quando entrevistou o trio de atores de Hobbit – A Desolação de Smaug, num hotel do Soho, em agosto, o repórter ainda não havia visto a segunda parte da nova trilogia de Peter Jackson. De volta a J. R. R. Tolkien e à Terra Média.
Naquele momento, foi possível somente ver o material promocional que já estava na internet, incluindo a agora já clássica cena dos barris levados pela correnteza (com os anões dentro). Ela já se destacava como a mais movimentada e excitante de A Desolação de Smaug.
Como disseram dois dos atores envolvidos na cena – Richard Armitage e Orlando Bloom, o anão Thorin e o elfo Legolas –, ela virou a menina dos olhos de Jackson.

“Filmamos durante 12 semanas. E eu quase morri afogado”, confessou Armitage. É estranho conversar com um gigante de quase dois metros que aparece comprimido, digitalmente, na tela para representar um anão. Armitage conta que quase havia morrido afogado na cena do submarino de Capitão América, como o espião que tenta escapar do herói. “É um complô de Hollywood: eles querem me matar”, brinca. A cena dos barris na água é uma mera referência no livro de Tolkien, O Hobbit, mas Jackson imediatamente percebeu seu potencial cinematográfico.

Ela deveria terminar o primeiro filme, quando o projeto de O Hobbit ainda era um díptico. Ao expandir sua narrativa e transformar os dois filmes previstos em três, Jackson jogou os barris na correnteza para a metade do segundo filme. A Desolação começa explicando o motivo pelo qual os anões precisam de um ladrão – Bilbo – para levar adiante seu plano de reconquistar a cidadela de seu povo, agora ocupada pelo dragão.
A importância da pedra de Arken é rapidamente estabelecida. “Peter (Jackson) é um grande narrador e o melhor de ele ter transformado os dois filmes em três foi que a luta de Thorin para restabelecer a glória de seus ancestrais ganhou em profundidade psicológica”, diz o ator.

O personagem tinha algo de bidimensional, agora é verdadeiramente humano, ou o que se supõe que seja um humano. “Thorin estabelece sua liderança, e ela não é tranquila. Se as coisas podem piorar com ele, você pode ficar certo de que pioram.” E a cena dos barris? “Peter construiu um set com a correnteza na área aberta dos estúdios de Wellington (Nova Zelândia). Mas imagens também foram captadas num fiorde da Islândia e em CGI (efeitos digitais). O que posso dizer é que me molhei bastante. E quase morri ao ficar preso no barril.”

Como foi se preparar – um gigante – para caber num anão? “Peter me deixou confortável. Disse que não devia pensar como anão, porque Thorin tinha um ego imenso e pensava como gigante”, e Armitage ri. Orlando Bloom chega para a entrevista com seu cachorro, que cheira os jornalistas antes de se deitar entediado, num canto da sala. Como foi a volta de Bloom à Terra Média? “É curioso, porque se trata de um universo perfeitamente conhecido, mas que se renova. Peter (Jackson) conhece tanto o universo de Tolkien que consegue ser fiel a ele mesmo ao se distanciar. O Hobbit do cinema não é exatamente o do livro. Mas o que ele acrescenta soma à história e aos personagens.”

É verdade – e o público, sabendo disso, corresponde. O primeiro filme da nova série faturou mais de US$ 1 bilhão. Uma fábula de dinheiro. Passaram-se 12 anos do primeiro O Senhor dos Anéis – A Irmandade do Anel, e agora Legolas é mais jovem (se bem que a idade não conta para os elfos)? “Peter não achava que fosse um problema. E o que sinto é que, na marcha a ré temporal, lançamos os fundamentos do personagem. Há uma história de amor que não se desenvolve para Legolas.”

Eswsa história é uma invenção de Jackson. Kili, o anão, é atraído pela arqueira Evangeline Lilly (e ela corresponde). É lindo, mas poderia ter havido uma história entre Tauriel e Legolas, se não fosse o pai dele. Lee Pace é quem faz Thranduil “É divertido ser o pai de Orlando. Sou mais novo, eu deveria ser o filho” (risos).
Thranduil será um grande rei, mas isso está ligado à batalha do terceiro filme. Aqui, consigo me indispor com todo o mundo. Mas cresço no terceiro.”

 

Fonte: Estadão

image Você sabe o que é HFR?

Saiba mais sobre essa tecnologia inovadora!

Novo trailer de O Hobbit 2 está cheio de ação!

Quem está super ansioso (como eu) vale a pena ver o trailer até sem legenda.
O trailer tem 3 minutos de duração, a maioria com cenas inéditas em que vários personagens demonstram sua insatisfação com o desejo dos anões de recuperar seu lar.