Gargalhada Selvagem

 Após temporada em São Paulo, ‘Gargalhada Selvagem’ estreia no Rio de Janeiro

‘Rir de nós mesmos nos aproxima mais daquilo que somos!’ – a frase pode resumir o mote inicial de ‘Gargalhada Selvagem’, escrita em 1987 pelo norte-americano Christopher Durang e sucesso em dezenas de países, com seu humor ácido e uma irresistível linguagem pop.
O texto, uma sátira social marcada por referências ao Teatro do Absurdo, chega pela primeira vez ao Brasil pelas mãos de Guilherme Weber, que reuniu um trio com larga experiência na comédia para a missão: Alexandra RichterRodrigo Fagundes e Joel Vieira. Comediantes consagrados em programas humorísticos e na internet, os três mergulham em uma comédia underground pela primeira vez. ‘Deslocar comediantes populares para o humor nervoso e provocativo do teatro nova iorquino dos anos 80 tem um sabor especial e particular nesta montagem’, diz o diretor

Depois da bem-sucedida temporada em São Paulo e primeira turnê (Campinas, Belo Horizonte, Vitória e Porto Alegre), ‘Gargalhada Selvagem’ estreia no Rio de Janeiro no dia 30 de junho, para temporada de um mês no Teatro XP (sextas e sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h).

O texto, com título em inglês ‘Laughing Wild’, teve 13 outras montagens em países como Austrália, Inglaterra, Espanha e Argentina. Ao todo, as produções acumularam mais de cinco milhões de espectadores em todo o mundo. O texto teve produções de grande sucesso nos Estados Unidos, sendo um marco na Off Broadway em Nova Iorque.

Gargalhada Selvagem’ se desenrola a partir de um encontro no supermercado entre um homem e uma mulher, ambos atores. Estruturada em três atos, a peça apresenta dois monólogos e um terceiro momento em que os personagens se reúnem para uma sequência hilária, que alterna entre o embate, o pesadelo, o colapso e o delírio.
A adaptação de Guilherme Weber revisita outros textos do autor e presta uma homenagem ao teatro underground dos anos 70, ambiente que modelou a obra de Durang:

‘Nossa versão pretende ser uma homenagem à comédia como linguagem. É também uma homenagem ao Teatro do Absurdo e à própria e extensa obra do dramaturgo e todos os subgêneros de comédia que ela ambiciona abordar. Para compor esta nova partitura, busquei destacar a cultura queer, a reciclagem de estereótipos, e também fui inspirado por diversos estilos de comédia, como a screwball comedy dos anos 30, monólogo de fluxo de consciência, stand up, casamento disfuncional… Estes adoráveis personagens em crise usam o humor como escudo, a linguagem como arma e a piada como um colete salva vidas”, analisa o diretor.

SERVIÇOGARGALHADA SELVAGEM

Estreia 30 de Junho no Teatro XP
Temporada de 30 de Junho a 30 e Julho de 2023
Sextas e sábados às 20h e aos domingos às 19h

As sessões aos domingos contam com intérprete de Libras

Ingressos: Plateia: R$ 100,00 e R$ 50,00
Preço promocional: R$ 50,00 e R$ 25,00

TEATRO XP – Av. Bartolomeu Mitre, 1110 – Leblon (Jockey Club Brasileiro)
Telefone: 3807-1110

Bilheteria: Aberta somente nos dias de espetáculo, três horas antes da atração.
Vendas: Teatro XP Investimentos (sympla.com.br) Clientes Vivo Valoriza, plataforma de relacionamento da Vivo, tem desconto de 50% na compra de até dois ingressos

Classificação: 14 anos / Duração: 75 minutos / Gênero: Comédia / Capacidade: 366 lugares.

Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito / Estacionamento no local

_

Ficha Técnica

Texto original: Christopher Durang

Tradução: Bárbara Duvivier e Guilherme Weber
Direção geral e adaptação: Guilherme Weber
Elenco: Alexandra Richter, Rodrigo Fagundes e Joel Vieira
Direção de produção: Bruna Dornellas e Wesley Telles

Figurinos e adereços: Kika Lopes Cenário e adereços:  Dina Salem Levy
Desenho de luz: Renato Machado Trilha sonora: Jayme Monsanto

Preparador corporal: Toni Rodrigues Preparadora vocal: Carla Guapyassú

Design Gráfico:  Leticia Andrade e Natalia Farias
Assistente de direção: Pedro Rothe Produção executiva: Aline Gabetto e Clarice Coelho
Assistente de figurino: Mirian Cavour Costureira: Fátima Felix
Assistente de cenografia Rio de Janeiro: Raquel Winter Kreis

Fotos: Nana Moraes / Leekyung Kim. Visagismo: Verônica Rodrigues
Vídeos: Chamon Audiovisual e Sonan Filmes Diretor de palco: Diego Rodrigues

Contrarregra: Adriana Oliveira Operador de som: Kelson Santos
Operador de luz: Luana Della Cris Camareira: Silvia Oliveira
Assistente de produção: Bruna Sirena
Motion Design: JLStudio
Mídias Sociais: Ismara Cardoso
Gestão de Projetos: Deivid Andrade

Coordenação Administrativa: Leticia Napole

Assessoria Contábil: Leucimar Martins Assessoria Jurídica: PMBM Advocacia.
Assessoria de Comunicação: Pedro Neves / Clímax

Apresentado por: Ministério da Cultura, Vivo e Prio Produtora associada: WB Entretenimento
Realização: WB Produções

Leia Mais
Mateus Solano estreia seu primeiro monologo, ‘O Figurante’