Minha fama de mau

Baseado no livro de mesmo nome, escrito por Erasmo Carlos, o filme conta a história de um dos maiores nomes da Jovem Guarda e responsável por popularizar o rock no Brasil pelas mãos de Lui Farias – filho de Roberto Farias,cineasta que, entre outras coisas, dirigiu Roberto Carlos em três filmes entre os anos 60 e 70.

Um Chay Suede charmoso teve a missão de dar vida ao cantor, que antes de tentar a chance na carreira artística vivia de roubar canos e outras coisas que pudessem render um dinheiro. É assim que começa o filme, quando Erasmo quase é preso em um desses roubos ao lado dos amigos, um deles sendo Tim Maia.

Enquanto vemos Erasmo já famoso narrar as cenas, a história do Tremendão se desenrola quando ele vive com a mãe em uma pensão caindo aos pedaços na Tijuca. Encantado com nomes que despontavam no rock americano como Elvis Presley e Bobby Darin, Erasmo tinha realmente algum talento, mas foi seu encontro com Roberto Carlos (Gabriel Leone, excelente) que o colocou, de fato, no mundo artístico.

O filme teve ”chapa branca” para mudar alguns fatos da época, como a saída de Roberto do programa em que ele, Erasmo e Wanderléia (Malu Rodrigues) apresentavam juntos na tv. A paixão por carros e a depressão que Erasmo sofreu nos anos 80 também estão presentes no longa. Chay, Gabriel e Malu estão bem em cena, o clima de nostalgia toma conta da tela e é impossível não cantar junto alguns dos grandes sucessos da Jovem Guarda.

 

Cotação: Bom

Leia Mais
Cadê você, Bernadette?