Tudo sobre “Sombra e Ossos”, a trilogia de livros que virou série da Netflix

Sombra e Ossos, série baseada no livro de Leigh Bardugo, está para chegar na Netflix em 23 de abril, e nada melhor do que explicar um pouco sobre esse universo para nos prepararmos para o que vem aí.

Sombra e Ossos acompanha a história de Alyna Starcov, uma órfã que quando atinge a fase adulta é recrutada para o exército de Rafka, por ser uma cartógrafa bem talentosa. O líder desse exército é o Darkling. Em uma missão dentro da dobra, Alina acaba despertando um poder que jamais imaginaria ter, afinal de contas, quando era pequena foi testada para saber se tinha poderes Grisha. Após a descoberta de seus poderes, Alina é levada para o palácio onde começa a treinar para controlar seus poderes e ser a salvação de Rafka.

A guerra da história tem a ver com a Dobra das sombras, que o próprio Darkling diz no trailer ser “uma cicatriz no mapa”. É um lugar escuro e confuso, onde existem criaturas perigosíssimas. O objetivo é acabar com essa dobra, mas muitas reviravoltas acontecem, se prepare!

Bom, mas o que são os Grishas? São os que possuem a famosa magia. Os Grishas fazem parte do segundo exército de Rafka, enquanto o primeiro é composto por pessoas normais.

Uma coisa bem interessante é que a autora Leigh Bardugo já afirmou que o segundo exército é parcialmente inspirado nos judeus que fugiram da Europa durante a Segunda Guerra Mundial, e acabaram se tornando essenciais para os Estados Unidos. Já Rafvka é inspirada na Rússia do século XIX, onde o governo tinha como principal característica a exploração da maior parte da população russa, e onde camponeses viviam em pior situação nas terras nobres. Só em 1861 que a exploração desses camponeses foi abolida.

Se pararmos para prestar atenção, realmente há fragmentos disso. Os Grishas são levados desde pequenos para treinar e, quando atingem a maioridade, entram no segundo exército para lutar na guerra. Sem outra opção: ou entram para o exército, ou são apedrejados, excluídos, e vistos como monstros.

Além de tudo isso, Bardugo estudou muito sobre o folclore, vestimentas, comidas, músicas, então cada detalhe foi muito bem pensado e estudado pra ela fazer esse universo tão rico e diferente, e que só pelo trailer da série, já parece visualmente incrível.

Mas, voltando para a realidade do livro, os Grishas são os que têm poderes dentro da história, mas eles são divididos em categorias e é importante diferenciar. Fica tranquilo que com o tempo você vai decorando, porque é realmente bem confuso. Há os Grisha Materialki, que são os durastes e os alquimistas. Os alquimistas são químicos, que fazem misturas explosivas, e os durastes são especializados em metais e plantas. Ambos usam o uniforme – ou kefta – na cor roxa.

Também temos os Corporalki, que são curandeiros e sangradores, seres perigosos e capazes de parar os batimentos cardíacos, ou torturar pessoas até a morte. O kefta deles é na cor vermelha.

Além deles, há os Etherealki, que são os hidros, os infernais e os aeros, quase como em Avatar – A Lenda de Aang. Aeros controlam o ar, infernais o fogo, e hidros, a água. O kefta deles é na cor azul. Por fim, temos os raros, os “alecrins dourados”, como Darkling e Alina. Eles são Grishas raros pelo fato de nenhum outro ter poder como os deles. Darkling controla as sombras, e Alina controla a luz do sol.
Darkling tem o kefta preto com dourado, enquanto Alina tem o kefta com bordas douradas.

Todas essas Grishas são extremamente importantes e habilidosas. Durante a leitura dos livros, é muito interessante acompanhá-los conjurando e desenvolvendo esses poderes, principalmente Alina. Ela tem muitas sub-habilidades, digamos assim. Mas, apesar de ser muito interessante essa divisão entre os seres e elementos até então únicos, Leigh Bardugo não explora muito os personagens dentro da narrativa, muitas vezes fica até um pouco confuso. Segundo a autora, muitas coisas vão mudar na série, que deve trazer mais profundidade e desenvolvimento de personagens.

Vale lembrar também que a série será a mistura da primeira trilogia com duologia Six Of Crows, que se passa depois da guerra de Sombra e Ossos. Os fãs acreditam que a primeira trilogia será no passado, e a duologia acontecerá no presente. Talvez funcione daquela maneira de que os personagens de Six Of Crows podem contar o que aconteceu antes, porque pode soar meio estranho misturar tudo em uma linha do tempo única.

Sombra e Ossos chega ao catálogo da Netflix em 23 de abril.

via

Leia Mais
Confira o trailer de “The Chair”, série de Sandra Oh na Netflix