Apenas um garoto em Nova York

Misturando nostalgia e medo do futuro, ”Apenas um garoto em Nova York” é mais um filme para a lista de ótimos dramas que não serão vistos por quase ninguém. Com distribuição fraca no Brasil, o longa teve direção de Mark Webb (”500 dias com ela” e ”Um laço de amor”) e roteiro de Allan Loeb (”Esposa de Mentirinha” e ”O espaço entre nós”). No elenco, a super estrela Pierce Brosnan (o eterno 007).

A trama começa quando Thomas (Callum Turner, ótimo), um jovem recém formado e que veio de uma família abastada em Nova York, se apaixona por Mimi (Kiersey Clemons). Por conta de alguns problemas, o casal não consegue ficar junto e Thomas desabafa sobre a situação com seu novo vizinho, o enigmático W.F. (Jeff Bridges). Os dois criam uma amizade e Thomas cria coragem para tentar se aproximar de seu pai (Pierce Brosnan), mas tudo começa a desmoronar quando ele descobre que seu pai está tendo um caso com a bela Johanna (a britânica Kate Beckinsale). A partir daí, o filme ganha tons de suspense e drama.

Callum é uma das ”fresh faces” em Hollywood e foi escalado para o próximo filme da franquia ”Animais Fantásticos”, derivado de ”Harry Potter”. Seu jeito nerd e os óculos de grau caem como uma luva para dar vida a Thomas, um jovem que quer trilhar seu próprio caminho mas ainda depende da aprovação paterna – mesmo que de um jeito meio torto. O ator está perfeito no papel, e sua sintonia com Bridges ajuda a dar ainda mais profundidade ao texto. O filme é indicado para quem quer um filme bom, tocante e ao mesmo tempo com um roteiro não muito óbvio.

 

Cotação: Muito bom

Editora-chefe do site e bacharel em Estudos de Mídia pela UFF, trabalha com redes sociais e produz conteúdo para web desde 2012.
Curiosa e apaixonada por cinema, escreve aqui em sua ”Coluna Clichê” sobre os filmes que assiste no cinema e na TV.

  • Image

Leave a comment