”Bond 25”: Phoebe Waller-Bridge quer fazer jus às personagens femininas

Em entrevista ao Deadline, a co-roteirista de Bond 25“, Phoebe Waller-Bridge (da série de sucesso“Killing Eve”), falou sobre seu trabalho no novo filme da franquia James Bond, que ainda não conta com um título oficial divulgado. Waller-Bridge foi chamada para aprimorar o roteiro, que já havia sido trabalhado por diversos escritores.

O roteiro original de “Bond 25” foi escrito pelos veteranos da franquia Bond, Robert Wade e Neal Purvis (ambos de “007 contra Spectre”). Então, quando o diretor Danny Boyle (“T2: Trainspotting”) trouxe uma nova e original ideia para o filme, trouxe consigo seu roteirista em quase todas as suas produções, John Hodge (também de “T2: Trainspotting”), que mexeu bastante no texto. Porém, em agosto de 2018, Boyle e, consequentemente, Hodge, abandonaram a produção por conta de diferenças criativas.

Então, os produtores voltaram ao roteiro original de Wade e Purvis e chamaram Cary Joji Fukunaga (“Beasts of No Nation”) para co-escrever e dirigir o filme. Em seguida, o especialista em roteiro Scott Z. Burns (“Somente o Mar Sabe”) foi chamado para fazer a revisão do texto e, recentemente, Phoebe Waller-Bridge foi chamada para dar uma polida nos diálogos e acrescentar algum humor.

De acordo com Waller-Bridge, foi exatamente o que ela fez. Na entrevista, a roteirista disse que seria injusto dizer que ela “escreveu” o roteiro, apesar de que ela também é creditada no press release do filme:

“Quando eu vi o Bond de Daniel Craig pela primeira vez, havia uma ironia na sua performance que eu realmente adorei. Por isso, eu fiquei muito empolgada em escrever diálogos pra ele. Quer dizer, o roteiro já estava lá. Está pronto. Acho injusto dizer que estou escrevendo o roteiro.”

Waller-Bridge diz, no entanto, que seu intuito também foi assegurar que os papéis femininos do filme, interpretados por Léa Seydoux (“Azul é a cor mais quente”), Lashana Lynch (“Capitã Marvel”) e Ana de Armas (“Blade Runner 2049”), fossem retratados de forma tridimensional no contexto do filme. Ao mesmo tempo, ela se preocupou em reconhecer que o personagem James Bond não precisa necessariamente se transformar em um ícone feminista de uma hora para a outra para que a franquia continue sendo relevante:

“Tem se questionado muito se a franquia Bond é relevante ainda hoje, por conta do jeito do personagem e de como trata as mulheres. Acho isso bobagem. Acho que ele é absolutamente relevante agora. É preciso apenas crescer. É preciso apenas evoluir, e o importante é que o filme trata as mulheres apropriadamente. Bond não precisa fazer isso. Ele precisa ser fiel ao personagem.”

A roteirista explicou que seu papel foi fazer com que as personagens femininas se sentissem como pessoas reais:

“Eu só quero ter certeza que, quando elas receberem suas falas, Lashana, Léa e Ana as leiam e digam: ‘Mal posso esperar pra fazer isso.’ Raramente tive esse sentimento no começo da minha carreira de atriz. Isso me traz muito prazer, saber que estou propiciando isso a uma atriz.”

Waller- Bridge é a segunda mulher a participar da redação de um roteiro de um filme de James Bond. A primeira foi Johanna Hardwood, que escreveu “007 Contra o Satânico Dr. No” e “Moscou contra 007”.

A sinopse do novo filme descreve James Bond vivendo tranquilamente na Jamaica depois de deixar o serviço ativo. Mas a paz dele acaba rapidamente quando seu antigo amigo Felix Leiter (Jeffrey Wright, que havia aparecido pela última vez na franquia em “007: Quantum of Solace“), da CIA, pede sua ajuda. A missão, o resgate de um cientista sequestrado, mostra-se muito mais perigosa do que o esperado, levando Bond ao caminho de um vilão misterioso (Rami Malek) armado com uma nova e perigosa tecnologia.

Também estão no elenco Ben Whishaw (“O Retorno de Mary Poppins”), como Q.; Ralph Fiennes como M.; Naomie Harris (“Rampage: Destruição Total”) como Moneypenny; Rory Kinnear como Tanner; Billy Magnussen (“Toda Arte é Perigosa”); Dali Benssalah (“A Faithful Man”) e David Dencik (“Boneco de Neve”).

As filmagens de “Bond 25” acontecem na Jamaica, Noruega, Flórida, Londres e Itália. O filme permanece com estreia agendada para o dia 8 de abril de 2020 nos EUA e 3 de abril de 2020 no mundo todo.

 

via

Leia Mais
“Mulher-Maravilha 1984”: Filme tem nova data de estreia no Brasil confirmada