Crítica: ”Space Force” [1ª temporada]

”Space Force”, infelizmente, é uma série irregular.
Um elenco composto por famosos, uma trama razoavelmente interessante e 10 episódios não foram o suficiente para agradar. A trama acompanha o general Naird (Steve Carell), um piloto que sonha em comandar a Força Aérea, mas é deslocado para um trabalho menor: cuidar da recém criada Space Force, no Colorado.

Contrariado, Naird se muda para o local com sua esposa Maggie (Lisa Kudrow, de ”Friends”) e sua filha Erin (Diana Silvers). Lá ele se une com o excêntrico dr. Mallory (o premiado John Malkovich) e sua equipe, cujo objetivo é ”apenas” levar um novo grupo de astronautas para a Lua. Situações absurdas, como um episódio inteiro dedicado aos Jogos de Guerra, são tratadas como normais. Em outra cena, Naird quer convencer um chimpanzé “astronauta” a consertar um satélite em pleno espaço. A disputa com a China e com a Rússia é pano de fundo para várias piadas.

Carell oscila entre o drama e a comédia, o que é bacana. Não espere os gritos de Michael Scott, seu personagem em ”The Office”. Certinho e controlador, Naird quer entender o que está acontecendo com seu casamento e lidar com a filha adolescente, que se envolve num relacionamento estranho e sente saudade da vida em Washington D.C..
Naird precisa aturar Mallory e Chan (Jimmy O. Yang, de ”Silicon Valley), braço direito de Mallory.

Em diversos momentos a trama fica sem rumo. Quando um grande segredo vai ser revelado, alguma coisa mais urgente acontece e ficamos sem saber o que aconteceu, num momento de frustração. O grande mérito da série é a dinâmica entre os personagens. Mesmo prejudicados pelo roteiro e por clichês desnecessários, o grupo é esforçado. O personagem Chan ganha mais destaque apenas nos episódios finais, o que é uma pena. Se o show for renovado, será interessante saber mais sobre ele.

Cotação: Regular

Leia Mais
Homens, mulheres e filhos