Festival Varilux celebra 400 anos de Molière e traz clássico do cinema francês

Em suas edições, o Festival Varilux de Cinema Francês faz uma reverência aos grandes filmes, diretores e demais profissionais que marcaram a cultura francesa. Este ano, serão duas homenagens: a um clássico da cinematografia do país, “O Papai Noel é Um Picareta”, de Jean-Marie Poiré, e aos 400 anos de nascimento de Molière, um dos maiores nomes de sua dramaturgia, através do filme “As Aventuras de Molière”, de Laurent Tirard e Ariane Mnouchkine.

Ambas as produções estarão integradas ao circuito do festival, que está em sua 13ª edição, sempre trazendo sucessos recentes e inéditos da cinematografia francesa. O festival vai acontecer entre 21 de junho e 6 de julho – com todos os filmes estreando exclusivamente nos cinemas de todo o país no dia 23.

A comédia “Papai Noel é um Picareta”, de 1982, é uma adaptação de Jean-Marie Poiré para a peça de mesmo nome, criada pela trupe Le Splendid. Muito diferente de um filme tradicional de Natal, a produção se tornou um clássico do cinema francês devido a seu marcante humor ácido e à escalada de situações absurdas, que tornam tudo ainda mais divertido. O filme se passa na noite de Natal, quando a linha telefônica de SOS para pessoas deprimidas é interrompida por personagens marginais excêntricos que causam desastres em cadeia.

Modelo de comédia francesa, “O Papai Noel é um Picareta” conta com uma irreverência incansavelmente atemporal que atravessa os anos sem medo de comparação com as comédias mais atuais, que não vão tão longe na insolência. No final, mais tragicômico do que cômico, o espírito do filme hoje faz parte do patrimônio cultural francês, comenta Emmanuelle Boudier, curadora e codiretora do Festival.

Já em “As Aventuras de Molière”, o espectador está diante de um jovem diretor de teatro, Molière, que zomba da nobreza e faz sucesso entre as classes mais baixas da França. Ele acaba sendo preso por não pagar taxas ao governo, mas tudo muda quando Monsier Jourdan, um aristocrata, paga sua dívida e, em troca, se aproveita dos talentos de Molière como escritor para cortejar sua amada.

A exibição do filme homenageia os 400 anos de nascimento de Jean-Baptiste Poquelin, mais conhecido como Molière. Dramaturgo francês e ator engajado, é considerado o pai da Comédia Francesa por seus textos satíricos e críticos. Dentro do contexto social da França de sua época, Molière ridicularizou a vaidade e o caráter esnobe de uma burguesia em ascensão. Profundo observador do comportamento humano, criou peças que poderiam ter sido escritas atualmente, com uma abordagem popular e sarcástica de temas relevantes até hoje, como o machismo, os dogmas da igreja, a luta de classes e a corrupção. 

Leia Mais
É o fim: ‘Riverdale’ vai acabar na sétima temporada