O Adeus de Hugh Jackman para Logan

Os filmes de super-heróis, pode-se dizer, começou em 14 de julho de 2000, quando X-Men estreava nos cinemas americanos e se consolidava no TOP 10 bilheterias daquele ano. Ali, a Fox enxergou um potencial. Hugh Jackman não tinha noção do quanto a sua vida estaria prestes a mudar daquele momento, até hoje em dia. Sete filmes depois, eis que chega Logan. Seu 8° e último filme na pele do mutante com garras.

 

Hugh Jackman, hoje mais cedo na coletiva em São Paulo

Logan foi exibido na última sexta no Festival de Berlim, causando choros e ovações de quem estava presente. O filme está atualmente com 97%  no Rotten Tomatoes, o site de critica mais acessado por cinéfilos. Tudo está culminando perfeitamente para uma despedida.

Na coletiva de hoje, Jackman exalta o diretor James Mangold, que já havia trabalhado com ele em Wolverine Imortal. Acho que todos nós podemos dizer que não somos nem um pouco fã do filme, principalmente de seu final, certo? Porém, o ator insiste em dizer que dessa vez é diferente. Que houve uma liberdade total para o projeto, e para o filme que eles queriam, de fato, fazer.

O ator não critica, mas mostra que tentou se distanciar ao máximo do que já foi feito, tanto em seus filmes (horríveis) solos, tanto nos filmes dos X-Men. Por que querer isso, se os filmes sucessos? Jackman diz que essa é uma história no qual ele sempre quis contar. Um filme que mostra a essência do que o Wolverine é de verdade: extremamente violento, e acima de tudo, uma pessoa atormentada por tudo que passou. Mostrando o mundo real, ou como ele disse na coletiva: “No mundo real, quando as pessoas morrem, elas morrem mesmo. E foi nesse ponto que eu quis chegar em Logan”.

Não só uma classificação indicativa que ajudasse, mas também um roteiro que fizesse jus ao personagem. O ator compartilhou de onde veio toda a ideia para o filme, mais especificamente, em 2 de março de 2015, quase dois anos atrás. Jackman diz: “Eu acordei ás quatro da manhã com uma ideia. Liguei o gravador do meu celular, e contei qual era a minha visão do filme, para mim mesmo. Cada detalhe, a forma que eu queria que a história seguisse. 80% do filme está tudo naquela gravação”.

Junto com seu diretor e amigo, eles foram a Fox pedir esse tipo de filme. E receberam a aprovação. Mas não se engane, Hugh apenas fica a cargo de ator, nem mesmo produtor do filme ele é. Mas durante a coletiva, ele afirmou que foi do mutante em que ele mais se envolveu. Desde os estágios iniciais da produção, até o seu fim.

Parece que nunca mais teremos um ator tão envolvido com o Logan do que Hugh Jackman. 17 anos depois, e ainda com essa empolgação de quem está começando. Só podemos dar o nosso obrigado, e assistir Logan nos cinemas.

Leia Mais
“Homem-Aranha 3”: Por que personagem de Zendaya se chama MJ ao invés de Mary Jane?