Review: ”Break Point”

Versão tenística do mega sucesso ”Drive to survive” (série sobre Fórmula 1 que segue os pilotos durante as competições ao longo do ano, hoje com 4 temporadas disponíveis), ”Break Point” chegou na Netflix com 5 episódios para animar os fãs do esporte.

Começando com ele, o jogador encrenqueiro do circuito mundial: Nick Kyrgios. O australiano de 27 anos é a estrela do primeiro episódio, que se passa no Australian Open – onde divide as câmeras com um de seus melhores amigos, o também jogador Thanasi Kokkinakis.

Todos os episódios possuem o mesmo estilo da série sobre Fórmula 1 – seguem o calendário dos torneios, imagens de bastidores, comentários dos personagens principais do episódio e de membros de suas equipes e por fim comentários de ex jogadores e jornalistas sobre o tema em questão.

A série acerta ao trazer as lendas Maria Sharapova e Andy Roddick para comentar sobre cada um dos jogadores apresentados nos episódios, além de trechos de entrevistas dos próprios protagonistas em coletivas de imprensa mundo afora.

O segundo episódio já é menos caótico e segue o casal Berrettini-Tomljanovic, com a expectativa do italiano por ganhar algo grande em sua carreira e as frustrações da australiana com o lado mental de seu jogo.
O terceiro segue Taylor Fritz em Indian Wells, na Califórnia, que vive o pesadelo de enfrentar o gigante Rafael Nadal na final do torneio.

O quarto episódio é focado na jovem espanhola Paula Badosa, favorita para levar o prêmio em seu país natal e o último episódio segue os talentosos Félix Auger-Aliassime e Casper Ruud, jovens promissores do esporte.

A série tem episódios longos e tudo é montado para mostrar o que acontece entre as partidas, os bastidores, relacionamento entre os jogadores e suas equipes, as glórias, as derrotas, a motivação, o orgulho, como equilibrar vida pessoal e carreira e, como não poderia deixar de ser, os fantasmas dos jogadores.
Os próximos 5 episódios serão lançados em junho, ainda sem data definida.

Cotação: Bom

Leia Mais
Upgraded